Compartilhar

Aparecida de Goiânia registrou uma redução de 64% nos casos de dengue notificados de janeiro a março. No mesmo período de 2016, foram 7.733 casos notificados. No primeiro trimestre dste ano a SMS notificou 2.787 casos de dengue. Apesar da redução, a Secretaria mantém o ritmo das ações de combate ao Aedes aegypti e também pede que a população continue em alerta.

“A redução de casos é uma vitória de todos, mas não podemos sair do estado de vigilância, porque a luta não acabou. O objetivo é diminuir ainda mais esse número e tentar erradicar o mosquito”, destaca o coordenador de Vigilância em Saúde Ambiental Iron Pereira.

Só neste ano, a coordenação de Saúde Ambiental recolheu cerca de 130 mil pneus velhos, em diversas ações, descartados em de forma indevida na cidade. Além disso, as equipes de endemias realizam visitas domiciliares durante todo o ano, contemplando os bairros do município, conforme cronograma do órgão. A SMS conta ainda com a parceria da Secretaria de Educação e Cultura, Secretaria de Desenvolvimento Urbano, 7° Batalhão do Corpo de Bombeiros e empresas como Abençoada Transporte e Reverso Reciclagem de Pneus.

O secretário de Saúde Edgar Tolini ressalta ainda que o trabalho educativo é uma das principais formas de combate ao Aedes. “O trabalho de conscientização é essencial não só com a população, mas também em conjunto com as escolas e com as unidades básicas de saúde. É importante que todos da comunidade estejam engajados. O tratamento do doente é importante, mas o essencial é o combate ao vetor, para que ninguém adoeça”, frisou Tolini.

Estado de alerta

De acordo com o coordenador de Vigilância Ambiental, Iron Pereira, a população de Aparecida de Goiânia deve continuar atenta quanto a objetos que possam acumular água no quintal de suas casas e que sirvam de criadouro do mosquito transmissor da dengue, chikungunya e zika.

“Com os moradores procurando economizar água, os tambores, baldes e tanques usados como reservatório foram os locais onde os agentes de endemias mais tem encontrado focos e larvas do mosquito em Aparecida. Em segundo lugar estão os lixos domésticos, como recipientes plásticos como garrafas e latas, em terceiro, os pneus jogados de forma irregular em lotes baldios”, destaca Iron.

Além de pedir que os aparecidenses continuem cuidando de seus quintais, a SMS realiza ações de combate ao vetor durante todo o ano, evitando assim maior proliferação do mosquito. Além de ações de recolhimento de pneus, os bairros que possuem maior número de incidência recebem as equipes dos mutirões de limpeza, manejo ambiental, visitas domiciliares e também palestras nas escolas.

Compartilhar

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here