Para 2019 são esperados 4.160 alunos no Basileu França

Por Hélmiton Prateado

O Centro de Artes Basileu França volta à normalidade agora e retoma seu curso normal com a excelência da produção de cursos de teatro, dança, música, circo, artes visuais e até um curso superior de produção cênica. A Organização Social (OS) Cegecon, que faz a gestão do Basileu pagou na última semana salários atrasados de professores e servidores que estavam atrasados e começou um audacioso programa de reestruturação visando manter a regularidade dos cursos e a sobrevivência.
Após a assinatura de um Termos de Ajustamento de Conduta com o Ministério Público do Trabalho, em que o Estado se comprometeu a fazer os repasses conforme o contrato de gestão prevê a direção do Cegecon refez todo o planejamento e mostrou ser possível fazer tudo o que estava pensado com os recursos disponíveis. O superintentende administrativo do Cegecon, Mauro Reis, explicou que o enxugamento feito pela administração já produzirá uma economia mensal de R$ 180 mil e que outras adequações serão feitas, mas que os serviços serão mantidos com o grau de excelência que marca os cursos do Basileu França.
“Para 2019 serão 219 cursos ofertados, quatro a mais que no ano passado, e estamos prontos para ministrar esses cursos para os 4.160 alunos que são esperados para esse ano. Então vamos fazer mais, com menos e nosso compromisso é levar à comunidade goiana o mesmo serviço que tem marcado nossa gestão desde que assumimos a gestão”, explicou.
O Estado de Goiás, através da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SED) providenciou os repasses para o pagamento em atraso de professores e pessoal administrativo, além de fornecedores e prestadores de serviço. Além do Basileu França o Cegecon faz a gestão de importantes unidades da Rede Itego como na Cidade de Goiás, Goiatuba e Pontalina, onde uma atividade integrada com o polo confeccionista garante incremento na produção e formação de mão de obra.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here