Cobertura para exames de hepatite será ampliada na rede de saúde
Compartilhar

Por Hélmiton Prateado

Em Aparecida de Goiânia, a Secretaria de Saúde (SMS) tem aprimorado a atenção às hepatites virais, doenças inflamatórias do fígado que nem sempre apresentam sintomas. Atualmente, 37 Unidades Básicas de Saúde (UBS) do município realizam o teste rápido para detecção da doença e os pacientes são tratados no Serviço de Atenção Especializado (SAE).
No último 17 de julho, 150 profissionais da SMS das áreas de medicina, enfermagem e farmácia foram capacitados para aperfeiçoar e agilizar o diagnóstico e outros aspectos da atenção às hepatites B e C com palestras e uma mesa redonda. A coordenadora de Vigilância Epidemiológica, Luzia dos Santos Oliveira, destaca que foram treinados profissionais que atuam nas UBS, nas urgências e nos ambulatórios quanto ao fluxo de atendimento e a importância da realização do teste rápido e da solicitação de sorologias para as Hepatites B e C.
Estímulo ao tratamento
Alem disso, no próximo dia 26, para enaltecer as pessoas que obtiveram a cura e incentivar e estimular aqueles que ainda não iniciaram o tratamento medicamentoso ou ainda não o finalizaram, será realizado um café da manhã, às 9h30, para 120 pacientes atendidos no SAE que foram curados de hepatite C. O encontro será na sede do Serviço, na Avenida das Nações, quadra 7, lote 12, no Bairro Vera Cruz.
Doença silenciosa
A coordenadora do Programa IST/HIV/AIDS e Hepatites Virais da SMS de Aparecida de Goiânia, Ana Paula Vieira de Deus, destaca que as hepatites são transmitidas através da relação sexual desprotegida e do contato com materiais contaminados com sangue de portadores da doença. “Elas podem acometer qualquer pessoa que esteja exposta ao risco. É importante que a população procure uma UBS para a realização do teste rápido para hepatite B e C porque são doenças silenciosas e que representam um grave problema de Saúde Pública em todo o Brasil. Se o teste der positivo, o paciente já será encaminhado para o SAE. E quem já tem o diagnóstico pode procurar diretamente o Serviço”, informa.
Para Ana Paula, a capacitação dos profissionais é fundamental também para que eles tenham conhecimento do fluxo adequado: “Assim evitamos encaminhamentos errados que podem até causar o abandono do tratamento pelos pacientes.” Em Aparecida, segundo dados do SAE, de agosto de 2012 até maio deste ano, já foram atendidos 279 casos de hepatite B e 285 de hepatite C. Também foram computados, desde abril de 2015, 595 casos de HIV e 1.031 de Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs).
O SAE
O Serviço de Assistência Especializado é a unidade da SMS destinada ao tratamento e dispensação de medicamentos das ISTs. Para ter acesso às consultas com infectologista, hepatologista, psicólogos e enfermeiros oferecidas no local, os pacientes devem ser notificados por alguma unidade de Saúde e encaminhados ao Programa de Atenção às Infecções Sexualmente Transmissíveis da Vigilância Epidemiológica. No Serviço também são realizados testes rápidos para identificação de pessoas com HIV, Sífilis e Hepatites B e C, dentre outros atendimentos.

Compartilhar

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here