Eurípedes Barbosa Nunes, Grão Mestre Geral Adjunto do Grande Oriente do Brasil
Compartilhar

Adolfo Ribeiro Valadares

“Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá”, João 11:25
O Grande Arquiteto Do Universo chamou para junto Dele um dos mais destacados operários do Seu reino que já habitaram esse plano. Eurípedes Barbosa Nunes, nosso irmão de fé e de caminhada foi trabalhar na Arte Real junto do Supremo Criador, porque assim quis o Altíssimo e que assim seja feita a Sua vontade. Deus, em sua infinita bondade, e misericórdia move para lá e para cá os seus obreiros dentro de seu plano e sua infinita sabedoria faz as coisas de forma integralmente justa e perfeita.
Acreditamos que é isso que se sucede, pregamos para os nossos a certeza da vida eterna, buscamos a resignação para com as determinações que vêm do alto e aceitamos os desígnios de Deus como o que deve acontecer. Tanto aceitamos que tratamos com a força de nossas palavras esse episódio conhecido como desencarne como sendo uma passagem para o Oriente Eterno e não como morte, como alguns classificam. Isso porque acreditamos na imortalidade da alma, na ressurreição e na vida eterna. Todavia, fica a dor de perder do nosso convívio um irmão tão querido e que por certo fará falta nesse mundo contemporâneo. Fica o vazio de não mais poder encontrar e dar um abraço entre tantos os irmãos queridos que temos. Resta a triste lembrança de que não mais será possível fazer uma ligação telefônica e perguntar como o dileto irmão está, quais suas aflições, o que tem lhe dado alegria, como está a família e quando será sua próxima atividade maçônica de relevância para que possamos ir prestigiar. Resta a saudade de não mais ver seu sorriso engrandecedor e que traduz paz entre os que o cercam.
Era isso que o que sentíamos quando a referência era nosso irmão Eurípedes Barbosa Nunes. Era um maçom em toda a sua plenitude, que viveu os preceitos de nossa Sublime Ordem como pouquíssimos exercitaram essa dádiva. Barbosa era daqueles indivíduos que temos prazer em travar uma conversa despretensiosa, apenas para ter nas suas palavras uma sabedoria em altas doses e uma paz que apascenta corações aflitos. Um homem preocupado com os destinos do meio em que vive, que não se acanhava diante de desafios e sabia contornar obstáculos com sabedoria e aceitação ao que não seria produtivo insistir. Barbosa era o irmão sábio e de fala mansa, que instrui sem ser pedante, que indica o caminho dizendo que vai junto para não deixar ninguém pelo trajeto, que promove o bem e a paz com palavras e gestos. Um homem do bem, para definir em uma singela frase.

Adolfo Ribeiro Valadares, Grão Mestre da Grande Loja Maçônica do Estado de Goiás

Eurípedes Barbosa Nunes foi um maçom em toda a sua essência, que encontrou para ser sua esposa uma mulher que traz no nome uma das coisas mais significativas para um maçom. Seu nome é Vera Lúcia, que deriva diretamente do latim e significa, nada mais, nada menos, que “Verdadeira Luz”. A luz que iluminou Barbosa Nunes e lhe deu amor em uma família maravilhosa, o que fez dele ainda mais um indivíduo que por definição e comprovação foi “um homem iluminado” em todos os sentidos.
Barbosa empreendia já há vários meses uma campanha brilhante percorrendo todo o território nacional em busca de votos para sua tentativa de ser Grão Mestre Geral do Grande Oriente do Brasil, potência maçônica mais antiga do Brasil, que remonta a 1822 e cujo cargos já teve luminares da história de nossa nação do quilate de José Bonifácio de Andrada e Silva, Dom Pedro I, Deodoro da Fonseca, Quintino Bocaiuva e Jair Assis Ribeiro, para citar alguns.
Nessa campanha Barbosa Nunes superava dificuldades como o cansaço natural e vencia oposições, angariando apoios em profusão para sua proposta de construir uma fraternidade verdadeira e atuante.
Barbosa Nunes fará falta não apenas para o Grande Oriente e para a maçonaria brasileira e universal. Fará falta para o Brasil, tão carente de líderes que pensem realmente na coletividade e deem exemplo de retidão de caráter, instruindo com seus exemplos de ética e respeito às leis. Um Brasil tão assolado pela desfaçatez de governantes e representantes políticos anseia por homens como Barbosa, que deem um norte a seguir, que pensem e formulem novas formas de colocar o país no rumo certo. O Brasil perde muito com o passamento de um homem como esse. A maçonaria perde um dos melhores quadros que já formou em sua história. Goiás perde um dos mais brilhantes filhos e nós perdemos um irmão querido, que deixará um vazio entre nós e uma dor no coração por não podermos mais ouvir suas palavras de sabedoria e bondade.
Descanse o sono dos justos, estimado irmão Barbosa Nunes. Preste contas diante do Supremo Criador com a altivez dos que semearam o bem, mas com a humildade dos que cultuam o temor a Deus. Diante do Grande Arquiteto Do Universo interceda por nós, que seguimos nosso desiderato lutando para fazer o bem vencer e a luz triunfar. Que os anjos lhe conduzam à presença do Altíssimo e lhe deem o galardão garantido aos bons obreiros que entre nós passaram. Assim seja.
Adolfo Ribeiro Valadares é Grão-Mestre da Grande Loja Maçônica do Estado de Goiás

Compartilhar

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here