Prefeito Evandro Magal pode ter cassação mantida pelo TRE-GO
Compartilhar

Por Hélmiton Prateado

O procurador regional eleitoral Alexandre Moreira Tavares dos Santos proferiu seu parecer para o Tribunal Regional Eleitoral pela manutenção da sentença de primeiro grau que cassou o prefeito de Caldas Novas, Evandro Magal (PSDB) e seu vice, Fernando Resende. A juntada desse documento permitirá o andamento do recurso interposto por Magal que tenta se manter no cargo e evitar o afastamento da Prefeitura.
Para ele “as provas dos autos revelam de forma contundente e robusta a prática de abuso do poder autoridade/político e dos meios de comunicação social”, reafirmando tudo o que o Ministério Público em Caldas Novas havia juntado na ação que foi julgada pelo juiz eleitoral da cidade, Thiago da Costa Bentes e que cassou Magal. O procurador ainda frisou que tudo ficou “consubstanciado no escancarado e abusivo enaltecimento da imagem dos investigados Evandro Magal e Fernando, por meio da divulgação massiva e diuturna de matérias jornalísticas favoráveis, encaminhadas pelo coordenador da campanha”, João Paulo e publicadas “no jornal É+ Notícias”.
O promotor havia proposto a ação ainda em 2016 pedindo a cassação do registro da candidatura, do diploma ou do mandato. Após investigação primorosa do MP o promotor detalhou como o prefeito cassado Evandro Magal se valeu de verbas da Secretaria de Comunicação Social da Prefeitura de Caldas Novas para fazer promoção própria e denegrir a imagem de adversários políticos. A investigação remonta a junho de 2016, antes do início da campanha eleitoral quando o promotor e seus assistentes iniciaram um minucioso levantamento das notícias veiculadas no jornal É+ Notícias comparando com os fatos postados no site da Prefeitura relativos às ações do prefeito Evandro Magal, quando era candidato à reeleição. Tudo deMagal era favorável e elogioso e com relação a adversários políticos ou quem não se alinhava a ele era demérito e comprovava verdadeira perseguição.
Um auxiliar da Justiça Eleitoral enumerou que o jornal É+ Notícias & Classificados, tinha verbas consideráveis da Prefeitura de Caldas Novas e não se acanhava de postar notícias francamente favoráveis ao prefeito cassado Evandro Magal “de forma a destacar uma foto do atual Prefeito ou uma pretensa entrevista para finalizar a matéria”. Ele relatou ainda que as matérias eram “cópias integrais nas notícias publicadas na página oficial do Município de Caldas Novas”, além de fotos retiradas da página pessoal do prefeito cassado Evandro Magal no aplicativo Facebook serem publicadas no jornal.
Houve ainda a comprovação de que as notícias veiculadas no jornal É+ Notícias para “demonstrar a ausência total de imparcialidade e o objetivo de abusar do meio de comunicação social para promover o representado Evandro Magal Prefeito de Caldas Novas e candidato à reeleição”. Inúmeros recortes do jornal foram mostrados na ação para atestar que as notícias eram francamente favoráveis a Magal e extrapolavam a veiculação de matérias jornalísticas se travestindo de “promoção de imagem pura e simples do prefeito com recursos públicos”.
Desalento
A descrença bateu fundo na administração municipal nessa quinta-feira durante todo o dia. A Operação Carnê da Alegria, realizada pelo MP e Polícia Civil desbaratou um grupo que fraudava licitações, contratos e pagamentos na emissão de carnês do IPTU. A secretária de Fazenda e Gestão Pública de Caldas Novas, Adriana Gonçalves foi levada coercitivamente para depor, mas ao chegar ao MP recebeu voz de prisão por conta de seu envolvimento com as fraudes e desvios de dinheiro.
Assessores graduados do prefeito Evandro Magal comentaram de modo reservado que o próprio gestor está dando como perdido esse mandato e que dificilmente escapará da cassação pelo TRE-GO. “O Magal está preparando o presidente da Câmara, vereador Marinho Câmara, para ser o candidato dele a prefeito em uma eleição extemporânea”, comentou um assessor.

Compartilhar

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here