Máquinas e caminhões impediram a circulação para as mineradoras até que paguem os impostos
Compartilhar

Por Hélmiton Prateado

O prefeito de Catalão, Adib Elias, determinou que máquinas pesadas e caminhões bloqueiem as entradas e saídas das mineradoras instaladas na cidade até que elas paguem ou negociem as dívidas que têm para com o município e que já ultrapassa os R$ 105 milhões. Desde as 6 horas da manhã dessa segunda-feira as máquinas bloquearam o trecho de acesso às mineradoras da cidade e dois pontos da linha férrea (Ferrovia Centro Atlântica). A manifestação tem como objetivo receber impostos atrasados há décadas que representam uma dívida milionária da empresa chinesa CMOC INTERNATIONAL BRASIL – que atua na mineração e beneficiamento de nióbio e fosfatos – com o município. O bloqueio tem total apoio do movimento nacional dos caminhoneiros contando inclusive com a presença do líder Wallace Landim Chorão. Os caminhoneiros que recebem o frete abaixo do piso também se juntaram à prefeitura.
Catalão é a maior potência do estado de Goiás na produção mineral e após auditorias constatou que há 47 anos a cidade não recebe o que é devido a ela da extração mineral. Os impostos sonegados são referentes ao ISSQN (Imposto sobre serviço de qualquer natureza) e ao CFEM (Contribuição Financeira da Exploração Mineral) imposto federal. Prestadoras também estão envolvidas na sonegação.

Dívidas tributárias das mineradoras em Catalão já somam mais de R$ 105 milhões

Apenas nos últimos cinco anos somadas as dívidas das duas empresas pertencentes ao mesmo grupo, CMOC, ultrapassam R$ 11 milhões. Sendo: R$ 6.974.130,99 devidos pela Coopebrás e R$ 4.152.256,22 devidos pela Niobrás. Quanto às prestadoras a dívida refere-se a Manserv (R$ 1.110.812,58) e Porã (R$ 188.537,69). Além disso, segundo documento do DNPM – Departamento Nacional de Produção Mineral – o valor referente ao imposto federal CFEM – Contribuição Financeira da Exploração Mineral – representa R$ 94.559.037,24. Com atualização de juros e multas a dívida ultrapassa R$ 105 milhões.
O Prefeito de Catalão, Adib Elias, afirmou que a manifestação será por tempo indeterminado e que os acessos como a linha férrea e demais passagens de carretas e caminhões continuarão impedidos. “Não podemos permitir que uma empresa chinesa venha aqui, extraia e leve toda a nossa riqueza, todo o nosso dinheiro, lesando a cidade e deixando apenas a desesperança, a população têm o direito de receber e como representante irei cobrar até o fim”, disse o prefeito.

Compartilhar

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here