Cervejarias deverão indicar nos rótulos quais produtos foram utilizados
Compartilhar

Por Hélmiton Prateado

As cervejarias brasileiras terão um prazo de um ano para informaram com precisão nos rótulos de seus produtos a real composição das bebidas vendidas. A medida decorre da celebração de um Termo de Acordo entre o Ministério Público Federal (MPF) em Goiás, a União e as cervejarias Brasil Kirin, Petrópolis, Kayser e Ambev, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).
O MAPA editou a Instrução Normativa n° 68, de 6 de novembro de 2018 (IN), estabelecendo o prazo de 365 dias para que todas as empresas brasileiras do setor cervejeiro adaptem seus rótulos para que contenham informações quanto aos respectivos ingredientes que compõem o produto. A IN alcança, ainda, as cervejas importadas.
A IN estabelece, assim, a obrigatoriedade de constar, de modo claro, preciso e ostensivo, na rotulagem de cervejas, as informações que indiquem os ingredientes que compõem o produto, substituindo as expressões genéricas “cereais não malteados ou maltados” pela especificação dos nomes dos cereais e matérias-primas efetivamente utilizadas como adjunto cervejeiro.
De acordo com a procuradora da República Mariane Guimarães, a medida é importante para que o consumidor conheça a composição, a quantidade de cada ingrediente, bem como os riscos que essas substâncias podem acarretar à saúde. “A mera aposição da informação ‘cereais não malteados’ ou ‘adjuntos cervejeiros’ nos rótulos das cervejas é insuficiente para que os fabricantes se desincumbam do ônus de prestar informações claras e precisas sobre os produtos que colocam no mercado de consumo”, reforçou a procuradora.

Compartilhar

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here