Compartilhar

O governador Ronaldo Caiado sancionou, nesta terça-feira (27), projeto de lei que autoriza a transferência, por parte do Governo de Goiás, de uma área total de 175 hectares da Plataforma Logística Multimodal de Anápolis para a Companhia de Desenvolvimento Econômico de Goiás (Codego). Também assinou termo de assentamento para a expansão de quatro empresas no Distrito Agroindustrial de Anápolis (Daia), com investimento privado de R$ 56,4 milhões, e autorizou instalação de uma agência da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (Correios).
O terreno repassado à gestão da Codego, que é responsável pelos distritos industriais do Estado, conta com 1.163.427,17 metros quadrados. A expectativa é de que sejam criados 108 módulos industriais e cinco mil novos empregos diretos com o repasse. “Quando as pessoas me perguntam sobre qual a grande obra que terei na gestão, digo que é uma só: cuidar das pessoas, esse é o meu objetivo de vida”, resume Caiado.
“Vamos cuidar do emprego, da saúde, da segurança, das pessoas vulneráveis, cuidar para que Goiás seja um Estado visto nacionalmente como referência de boas obras e ações, e não notícia em páginas policiais”, destacou o governador. Para Caiado, “os empresários, quando chegam a Anápolis, muitas vezes vindos de outros Estados e até mesmo de fora do Brasil, sentem-se acolhidos”.
Caiado agradeceu ao presidente da Codego, Renato de Castro, e relembrou da ligação de décadas com a família do gestor. “O pai dele, desde que iniciei minha vida na política, na defesa do produtor rural, na luta da Constituinte para garantir o direito de propriedade, recebeu-me em Goianésia, até na minha campanha de presidente da República, em 1989”, lembrou. “Então, vocês podem ver que minha ligação é muito forte e foi transferida ao seu filho a oportunidade de ser meu braço direito, que tive na minha candidatura ao governo do Estado, a quem eu agradeço imensamente por esse fato, e, hoje, aceitando também nosso convite, estando à frente da nossa Codego”, enalteceu.
“O governador sempre nos fala isto e reforça em letras garrafais: se a Codego funcionar, Goiás cresce, a indústria cresce e os empregos são gerados. Precisamos ter isso em mente”, disse o presidente da Codego, Renato de Castro. “O empresário é o grande elo que faz a máquina funcionar. Sem ele, não teremos emprego, nem o recolhimento de impostos”, pontuou. “Um Estado forte não se faz com empresários fracos. Temos que fomentar, a cada dia, o crescimento de empresas”, avaliou.
Expansão
Durante o evento, foi assinado também o termo de assentamento para a expansão das plantas fabris de quatro empresas no Distrito Agroindustrial de Anápolis (Daia). São elas a BRG Brasil Geradores, fabricante de geradores de energia elétrica; a Excel Construtora e Incorporadora, do ramo de construção civil; a Comtral Comércio e Transporte de Alimentos, que presta serviços de transporte de carga; e a Fortlev Indústria e Comércio de Plásticos Ltda, especializada na fabricação de reservatórios de água, tubos e conexões. Somados, os investimentos das empresas alcançam cerca de R$ 56,4 milhões. Espera-se a geração de mais de 500 postos de trabalho.
Segundo o secretário de Estado de Indústria, Comércio e Serviços (SIC), José Vitti, a parceria com a Codego determinou a doação do espaço que, agora, será considerado nas medidas desenvolvidas pela pasta. “Os projetos para consolidar essa nova área da Codego estão sob responsabilidade da SIC. São projetos de infraestrutura, de ampliação da estrutura de fornecimento de água e de energia elétrica”, explicou.
A proposta de transferência da área do Estado partiu da Governadoria e foi aprovada pela Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) no último mês de junho. “A Goinfra e a Codego caminham de mãos dadas e ainda nos veremos em muitas obras em conjunto”, projetou o presidente da Agência Goiana de Infraestrutura e Transportes, Pedro Sales.
Correios
No evento, o governador concedeu, ainda, a anuência para a instalação de uma agência empresarial da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (Correios), no Daia. Ela será a segunda no país a funcionar dentro de um distrito industrial, assim como já ocorre em Água Branca, São Paulo. A estrutura terá 1.100 metros quadrados de área construída, estacionamento de veículos e espaço para carga e descarga de encomendas.
“Hoje, entre todas as festividades pelo aniversário de Anápolis, governador, o senhor traz um presente esperado há décadas”, disse o vice-prefeito de Anápolis, Márcio Cândido, representando o prefeito, Roberto Naves, ao lembrar os 114 anos que o município celebra em 31 de julho. “Essa medida rompeu as fronteiras de Anápolis e de Goiás, porque aqui serão instaladas empresas vindas das várias partes do Brasil que trarão salário e dignidade às vidas não apenas de anapolinos, mas de vários outros estados”, destacou.

Compartilhar

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here