Compartilhar

O governador Ronaldo Caiado participou, neste sábado (21/08), na cidade de Goiás, do encerramento da Expedição Desafiando Limites, que desbravou os mais de 300 quilômetros do Caminho de Cora Coralina, única trilha de poesias do mundo, que corta oito municípios, oito povoados e três unidades de conservação ambiental. Na reta final do trajeto, ele caminhou mais de oito quilômetros ao lado do ultramaratonista Márcio Villar, embaixador do percurso, que começou a trilha no sábado (14/08).
Durante o evento de encerramento, o Governo do Estado anunciou que a Expedição Desafiando Limites será realizada todos os anos, durante transferência da capital para cidade de Goiás.
O ponto de encontro foi no antigo Arraial do Ferreiro, no início da tarde. De lá partiram rumo ao trecho da Estrada Imperial/Real, já no Parque Municipal da Estrada Imperial, até o Largo da Carioca. A cidade de Goiás foi a última parada, onde o Caminho segue pelas antigas ruas e tem como marco final a casa de Cora Coralina, que hoje abriga um museu. “É um percurso que encanta. Significa resgatar a história, mostrar como nossos antepassados viveram e ter orgulho”, relatou Caiado.
Secretário-geral de Governo, Adriano da Rocha Lima explicou que a partir de 2022 a expedição será em julho, na semana que antecede a tradicional transferência da capital para a cidade de Goiás. A escolha da data é estratégica. “Além de não ter chuva, é mais fresco e no período de férias”, resumiu ao indicar que esse período do ano vai atrair mais turistas.
Para as próximas edições, o Estado planeja estabelecer parcerias capazes de ampliar o suporte aos peregrinos de todo o Brasil e até estrangeiros. A ideia é firmar contrato com empresas especializadas em turismo, com pacotes que incluam traslado, passagens, hospedagens e alimentação. “E ainda, apoio logístico a cada 7,5 quilômetros, com pontos de hidratação. Enfim, toda assistência necessária e apoio de profissionais da saúde que possam ajudar na recuperação física do peregrino para o dia seguinte”, projetou Adriano.
Presidente da Goiás Turismo, Fabrício Amaral relatou que o sucesso do Caminho de Cora despertou interesse de outros municípios goianos em criar seus próprios roteiros turísticos. “Temos pelo menos 10 pedidos para criação de novos caminhos”, relatou ao citar exemplo que contemplará a região do Rio Araguaia. “Vamos criar, com certeza. E dar consultoria e apoio para quem também quiser: Caminho das Emas, Caminho dos Veadeiros, porque os resultados para desenvolvimento econômico e social são fantásticos”, disse.
Conhecendo Caminho de Cora
Na tarde deste sábado, o governador foi acompanhado por uma comitiva de atletas e convidados. Logo nos primeiros quilômetros de caminhada, entre as belezas do Cerrado e uma breve parada no Rio Vermelho para refrescar o rosto com a água gelada, declarou que ainda pretende realizar todo o percurso em três etapas: “A primeira, montada na minha mula Estrela. A segunda, de bicicleta e a terceira, a pé.”
Acostumado a percorrer longas distâncias em circuitos nacionais e internacionais, o embaixador Márcio Villar mencionou as belezas naturais de Goiás como o grande diferencial do trajeto. Tanto que revelou o desejo de fazer uma tatuagem em homenagem. “Já fiz vários percursos no mundo e nunca vi nenhum igual a esse. Em nenhum caminho no mundo se tem essa segurança e beleza”, comentou o ultramaratonista.
O desfecho da caminhada culminou com o pôr do sol, na área externa da Prefeitura de Goiás, onde houve obliteração do selo dos Correios em alusão ao Caminho de Cora e entrega de certificados aos participantes. Um deles foi o prefeito de Aragarças, Ricardo Galvão. Ele integrou a equipe do ultramaratonista que concluiu todo o percurso em oito dias. “Esses 300 quilômetros me levaram a meditar sobre muitas coisas, como o companheirismo. Foram cinco dias úteis fora da minha cidade, mas a internet ajudou demais a dar continuidade ao meu trabalho, mesmo de longe”, comentou.
Quem também trabalhou enquanto se aventurava no sobe e desce das serras foi o fotógrafo Gustavo Jannini, de Campinas (SP), que veio exclusivamente para retratar as belezas de cada momento. Resultado? “Mais ou menos 5,5 mil fotos. E valeu muito a pena. Ano que vem estou aqui de novo”, declarou. O profissional, que é amigo do ultramaratonista, recebeu o convite de última hora, cancelou compromissos e viajou 16 horas de ônibus até Goiás.
“A gente virou família. Cada dia se conhecendo mais, um incentivando o outro. Isso é trabalho em equipe”, reconheceu Márcio Villar. O ultramaratonista afirmou que voltará ao Estado em novembro, desta vez para fazer o Caminho de Goyazes. Serão 1,4 mil quilômetros, durante os quais ele espera ter o suporte dos amigos que fez nos últimos dias. “Queria que cada um deles fosse comigo num trecho, para me motivar”, convidou. Jannini, o fotógrafo, é um dos que já faz planos de acompanhar essa nova aventura.
Inclusão e infraestrutura
O Caminho de Cora é para todos. A constatação é do assessor de Turismo Inclusivo da Goiás Turismo, Audier Silva Gomes. O servidor, que possui deficiência visual, participou de um trecho da caminhada junto ao governador. “A intenção é mostrar para a sociedade que a pessoa com deficiência pode e deve desfrutar dessas belezas de Goiás”, afirmou.
O empresário e atleta de alta performance João Carlos Rodovalho Costa, que tem a perna amputada, também fez neste sábado uma caminhada de 15 quilômetros. “Uma pessoa com deficiência é tão capaz de conhecer lugares, fazer trilha e aproveitar a vida da melhor maneira possível como qualquer outra. A limitação não define quem se é”, disse.

 

Compartilhar

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here