O prefeito Gustavo Mendanha anunciou nesta quarta-feira (03), durante evento na sede da SME, uma série de medidas em atendimento às demandas dos trabalhadores da rede municipal de Educação. A principal delas foi o envio de um Projeto de Lei à Câmara Municipal de Vereadores autorizando o pagamento do piso aos professores, que este ano foi fixado em 7,64%. O reajuste implicará em um impacto de R$ 1 milhão mensal na folha de pagamento da administração municipal.

“Desde janeiro estamos estudando o impacto que a aplicação do piso traria para a folha de pagamento do município e, além do reajuste desse ano, vamos incorporar também o piso autorizado em 2016, de 11,36%”, explicou o secretário de Educação, Rodrigo Caldas. Esse reajuste previsto em 2016 vinha sendo pago aos professores por força de mandato judicial como uma espécie de complemento, e figurando no contracheque dos trabalhadores como atendimento à medida jurídica. A partir de agora, os valores serão incorporados e pagos como deveriam, estabelecendo e cumprindo o piso nacional e dando tranquilidade aos professores”, enfatizou o secretário.

“Não foi uma tarefa fácil. No começo do ano mandei um projeto de lei à Câmara, reduzindo o número de cargos comissionados e de secretarias, justamente para que pudéssemos ter condições de valorizar os professores e todas as categorias que nos ajudam a construir a cidade. Nesse momento, após diálogo profícuo com o Sintego, conseguimos atender vários pleitos dos trabalhadores da Educação, especialmente os professores. Claro que gostaríamos de pagar muito melhor. Em momento de crise, não temos essa condição, mas estamos dando o nosso melhor”, destacou o prefeito Gustavo Mendanha.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here