Compartilhar

Por Hélmiton Prateado

O Hospital Regional de Itumbiara São Marcos colocou em operação mais 10 leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) para enfrentamento da pandemia da Covid-19. A partir de agora, o hospital conta com 80 leitos ativos exclusivos para pacientes com novo coronavírus, sendo 50 de enfermaria e 30 de UTI. O aumento faz parte de uma ação do Estado de Goiás que visa garantir tratamento adequado aos pacientes com a doença.
De acordo com diretor geral do hospital, Ricardo Bricídio, a previsão é de que em breve outros leitos sejam disponibilizados para tratar pacientes. A infecção do Covid-19 cresceu de forma exponencial nos últimos dias e preocupa as autoridades de saúde. “Seremos uma ferramenta importante nessa luta para vencer o novo coronavírus. Nossa meta é funcionar com 170 leitos”, explica o diretor.
HCamp Itumbiara
O Hospital Regional de Itumbiara foi inaugurado pelo governador Ronaldo Caiado no dia 1º de julho de 2020, com leitos de enfermaria e UTI. Após passar por reforma emergencial, a unidade foi dotada de equipamentos de última geração e se tornou referência no enfrentamento da Covid-19, recebendo pacientes de todas as regiões do Estado.
A entrada em funcionamento da unidade faz parte da estratégia do Governo de Goiás de levar saúde para mais perto do cidadão goiano.
Unidade tem musicoterapia pra tratar Covid
O Hospital Regional de Itumbiara São Marcos iniciou 2021 com uma ação de conforto emocional e bem-estar dos usuários e colaboradores. O projeto Musicalidade leva a música como terapia humanizada para os pacientes que estão em tratamento contra a Covid-19.
De acordo com a ouvidora da unidade, Kelle Machado, os voluntários são colaboradores da unidade que dão uma pausa no trabalho e levam música e alegria para os que enfrentam a batalha contra o novo coronavírus e para os que estão na linha de frente no enfrentamento da doença. “Nosso projeto tem como finalidade trazer uma associação de música e terapia para a quebra de rotina, tanto para o paciente quanto para o colaborador, em tempos tão difíceis, além de proporcionar momentos de descontração entre todos”, explica.
Além disso, o Musicalidade motiva todos que estão no hospital por sua alegria, disposição e conforto em um ambiente que é cheio de incertezas e ansiedades. “A música sempre me inspirou, sempre me guiou e já me levou a lugares incríveis, onde que jamais imaginei estar. Foi assim que quis trazer esse universo da música pro hospital, cada nota que toco no violão é como um remédio que administro não só para o paciente, mas também para mim e para o grupo que sonhou e sonha junto comigo. Todo o grupo faz de um simples momento musical algo mágico, capaz de tirar pacientes e colaborares de um universo pesado. Tornamos o ambiente leve e a recuperação mais breve”, relata Priscilla Santana, enfermeira assistencial e cantora.

Compartilhar

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here