Compartilhar

Desde o início do enfrentamento ao novo Coronavírus, a Prefeitura de Aparecida de Goiânia investiu na ampliação dos leitos de UTI da rede pública municipal. Só no ano passado, 130 unidades intensivas exclusivas para tratamento da Covid-19 foram estruturadas na cidade. Em março deste ano, para enfrentamento da segunda onda da pandemia, a Prefeitura abriu outros novos 46 leitos, totalizando 176 UTI´s Covid. O número, que é o maior dentre as cidades goianas, proporcionalmente à população, auxilia na assistência de moradores não só de Aparecida, mas de todo o estado. Segundo levantamento realizado nesta terça-feira, 06 de abril, 48% dos pacientes internados nos leitos intensivos da rede são de outros municípios.
O secretário de Saúde de Aparecida de Goiânia, Alessandro Magalhães, explica como o município realiza as internações hospitalares: “Os pacientes chegam nos hospitais públicos da nossa cidade para tratamento da Covid-19 por meio de pedidos encaminhados à Central Municipal de Regulação. É este órgão que analisa as solicitações, realiza a busca por vagas e libera para internação conforme prioridade clínica. A maioria das solicitações são das Upa´s 24h de Aparecida, que já recebem pacientes de todas as localidades, mas há ainda pedidos de outras unidades de saúde, inclusive de outras cidades”. Assim, de acordo com o gestor, existindo condições de receber pacientes, Aparecida cede vagas para outros municípios.
Segundo dados da Central de Regulação Municipal, na última semana, por exemplo, Aparecida realizou 30 internações de pessoas que aguardavam leitos na rede estadual, por meio da Central de Regulação do Estado. Só no sábado e domingo foram 15 vagas de UTI cedidas. Para o superintendente responsável pela área na Secretaria de Saúde de Aparecida, Luciano de Moura, “essa contribuição faz parte da dinâmica do Sistema Único de Saúde, que tem como um de seus grandes objetivos oferecer assistência adequada para quem precisa. Todos nós trabalhamos para salvar vidas e por isso é muito gratificante auxiliar na acolhida dos doentes”.

 

Compartilhar

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here