Humberto Tadeu Vieira, 62, o Palhaço Pipoca agoniza em Caldas Novas sem um leito de UTI
Compartilhar

Por Hélmiton Prateado

A promessa de que Caldas Novas teria leitos de UTI ficou só na promessa e nas contas do prefeito Evandro Magal. Um paciente idoso agoniza no Pronto Atendimento Infantil com um quadro gravíssimo insuficiência renal crônica, diabetes e pneumonia, necessitando com urgência de um leito de UTI para não morrer à míngua, como está acontecendo bem à frente do prefeito. 

Humberto Tadeu Vieira, 62 anos, agoniza no PAI à espera de atendimento intensivo e os profissionais de saúde da Prefeitura o fizeram descer da ambulância que o levaria para outra cidade sem qualquer justificativa. Ana Cássia, filha de Humberto, disse que a médica mandou que ele descesse porque não teria vaga em UTI em São José do Rio Preto, para onde a Secretaria Municipal de Caldas Novas iria mandar levar o idoso moribundo. Enquanto isso ela via um assessor do prefeito Evandro Magal desdenhar do quadro e não mais atender suas ligações. “Diogo, esse assessor, não deu mais satisfação sobre a necessidade de uma internação urgente para meu pai”, lamentou ela.

Humberto tem insuficiência renal e pneumonia. “Meu pai está morrendo à míngua por falta de humanidade na saúde de Caldas Novas”, disse a filha.

Desesperada ela pediu ajuda para conseguir uma vaga de UTI para o pai e chegou até a divulgar um áudio em que Humberto faz um apelo para o amigo de outras épocas que agora está no poder e o abandonou à própria sorte. Humberto era o Palhaço Pipoca, que por muitos anos animou festas na Praça Central de Caldas Novas e fez muitas campanhas para Evandro Magal. “Magal, aqui é o Pipoca, por favor me socorre, eu estou morrendo, preciso de uma UTI. Venha aqui me ver, Magal”, implorou o homem que morre à míngua no hospital infantil.

Humberto, nos saudosos tempos de Palhaço Pipoca e seu “amigo” Magal. Pediu votos e foi abandonado moribundo

A desesperadora situação de Humberto, o Pipoca que foi cabo eleitoral de outras épocas de Magal, contrasta com a propaganda de que a Prefeitura teria contratado leitos de UTI no Hospital Nossa Senhora Aparecida. Falou-se em investimentos de R$ 20 milhões feitos em parceria da Prefeitura de Caldas Novas com a iniciativa privada. O proprietário da empresa que explora os leitos de UTI é Júnior Guimarães, velho conhecido do Ministério Público por suas estripulias com superfaturamento e recebimento por serviços não executados. Pesam ainda dúvidas sobre os valores contratados das diárias dos leitos da UTI, que estariam superfaturados em relação ao que é pago pelo SUS. 

A reportagem tentou ouvir o prefeito Evandro Magal sobre o abandono de seu amigo no leito sem que fosse providenciado um leito de UTI. Ele não atendeu as ligações e nem retornou.

Compartilhar

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here