A cultura negra resgatada em Aparecida com apoio de entidades comunitárias e a Prefeitura

Por Hélmiton Prateado

A afirmação da cultura negra teve importante evento na última sexta-feira, 23, em Aparecida de Goiânia. O prefeito Gustavo Mendanha e o vice Veter Martins participaram no Centro Cultural Quilombola, na Vila Delfiori, das comemorações do 3º Encontro de Cultura Afro, Quilombolas e Povos Tradicionais. Diversas apresentações e homenagens marcaram a primeira noite do evento que será encerrado neste sábado, 24, com programação diversificada durante todo o dia.
As primeiras apresentações foram de crianças e adolescentes, que coordenadas pela professora Mayara Brandão dançaram ao som de músicas como a Três Raças, representando o respeito e a integração entre etnias diferentes. “A consciência tem que estar na mente das pessoas todos os dias e não apenas no Dia da Consciência Negra. O racismo e o preconceito existem e precisamos acabar com eles dentro da escolas. Se acabarmos com o racismo na escola, ele não sai para fora”, lembrou a presidente e fundadora da Associação Quilombola de Aparecida, Maria Lúcia Ferreira.
O evento, que tem apoio das secretarias de Educação e Cultura e Articulação Política, comemora a semana da Consciência Negra, valorizando a cultura afro em Aparecida. “Nosso objetivo é fortalecer a parceria entre a sociedade, o Poder Público e a comunidade local para que todos conheçam a riqueza que tem o quilombo urbano da Vila Defiori. Aparecida é uma cidade com uma diversidade cultural muito grande, porém, precisamos mostrar essa riqueza que muitos não conhecem”, explica o coordenador de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, João Batista Ribeiro.
O ex-prefeito Maguito Vilela, que criou o primeiro conjunto habitacional quilombola do Brasil, foi homenageado pela comunidade com uma placa de Honra ao Mérito pelos relevantes serviços prestados ao município na proteção e defesa de políticas de igualdade racial. Vilela, que não pôde comparecer, foi representado pelo prefeito Gustavo Mendanha. “Trago o abraço do nosso ex-prefeito Maguito que trabalhou muito pela construção deste conjunto habitacional e também pelas políticas de igualdade racial em nosso município”, disse Mendanha ao receber a honraria de reconhecimento.
Quilombolas e outras diversas pessoas que trabalham pela valorização da cultura afro em Aparecida também foram homenageados na noite festiva e receberam um certificado de reconhecimento. “Estamos reconhecendo e agradecendo à todos que contribuem e contribuíram com a valorização da nossa cultura negra. São homens e mulheres guerreiras que fazem e fizeram parte da história viva de Aparecida”, lembrou o prefeito Gustavo Mendanha.
Ao som de um berimbau e um pandeiro, algumas senhoras quilombolas da comunidade apresentaram a dança das peneiras, encerrando a primeira noite de festa. As anfitriãs colocaram muitas pessoas para dançar entre elas, o prefeito, o vice-prefeito Veter Martins, o vereador Leandro da Pamonharia , o presidente da Associação de Anemia Falciforme de Goiás, João Ivan e outras personalidades.
Dentro da programação, a roda de conversa abordou temas voltados para a saúde básica, a história e cultura afro-brasileira. Nas atrações culturais, está previsto rodas de capoeira, samba de roda, apresentações de grupos locais e banda sinfônica do município. Oficinas de tubantes, vestuário, culinária, tudo produzido pelo quilombo foram realizadas durante o encontro.
As comemorações no Centro de Convivência Cultural Quilombola seguem durante todo este sábado, 24, com rodas de conversa, apresentações artísticas , exposição de artesanato feijoada beneficente e roda de samba. “O dinheiro arrecadado será destinado à Associação Quilombola do Jardim Cascata e a Associação dos Mestres de Capoeira do Quilombo a fim de beneficiar os projetos sociais das associações”, informou João Batista.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here