Governador levou pessoalmente a licença de funcionamento para a mineradora Serra Verde
Compartilhar

Por Hélmiton Prateado

O governador Ronaldo Caiado esteve nesta sexta-feira em Minaçu para anunciar a entrega da licença ambiental à Mineração Serra Verde, que investirá cerca de R$ 580 milhões, gerando ao longo dos 18 meses de implantação, mais de 1,5 mil empregos diretos e seis mil indiretos. Desde 2013, a empresa aguardava a liberação da licença.
“É indiscutivelmente a mão de Deus. Graças ao trabalho do nosso governo, em especial à Secretaria do Meio Ambiente, cumprimos a nossa palavra e avançamos na autorização da licença, que entregaremos ao presidente da Serra Verde para que comece a instalação da mineradora, que será responsável pela exploração de terras raras”, disse o governador. A expectativa de Caiado é que a implantação da mineradora seja colocada em prática imediatamente. “O povo está com vontade de ter sua carteira assinada, voltar ao trabalho, e ter o seu sustento. É o sonho de todos nós. Não existe programa social mais importante do que garantir emprego ao cidadão.”
A Secretária de Meio Ambiente, Andréa Vulcanis, destacou que a entrega do documento encerra a semana, em que se comemora o Dia Mundial do Meio Ambiente, com chaves de ouro. “Tivemos uma semana intensa. Lançamos o programa Juntos Pelo Araguaia, de recuperação e revitalização ambiental. Hoje, tenho a honra de contar que estamos fechando a semana com 53 licenças ambientais, 350 outorgas e a nossa tão esperada licença de Minaçu, da empresa Serra Verde”, enumerou.
O senador Luiz do Carmo elogiou Caiado pelo empenho na causa e ressaltou que o ato por Minaçu foi inédito. “Há muitos anos venho aqui, tenho empreendimento na cidade. Mas a grande diferença hoje é ver um governador sair da capital e vir aqui em Minaçu entregar uma licença ambiental. Isso nunca aconteceu na história de Goiás”, assinalou.
Wilder Morais afirmou que a licença para a Serra Verde chega em um momento que a população sofre com o fechamento da Sama. “Imaginem a angústia das famílias. Mas a sensibilidade do governador e a competência de nossa secretária proporcionam essa conquista em um momento difícil”, pontuou. Wilder aproveitou para anunciar a assinatura de novos protocolos de intenções para a instalação de novas empresas em Goiás. “Se Deus quiser, até o final do ano, vamos superar o que foi feito nos últimos quatro anos”, vislumbrou.
Na solenidade, o governador e os secretários Andrea Vulcanis e Wilder Morais receberam títulos de Cidadão Honorífico Minaçuense. Participaram da entrega também o secretário Adriano Rocha Lima (Desenvolvimento e Inovação); o deputado estadual e líder do governo na Assembleia Legislativa, Bruno Peixoto (MDB); deputado estadual Eduardo Prado; o deputado federal José Nelto; o presidente da Câmara Municipal, Adriano Seabra; além de vereadores, prefeitos de municípios vizinhos e demais lideranças locais.
Marco na história
O prefeito do município, Zilmar Duarte, considerou a ocasião um marco para a história do município. “Hoje é um dia ímpar para nossa cidade, e me sinto lisonjeado, pois considero um reinício para Minaçu. Essa licença e as demais outorgas, que nos trouxeram de surpresa, foram um verdadeiro presente para o nosso povo. Todos sabem que a mineração é o berço da renda econômica de nossa cidade”, declarou.
O vice-presidente executivo da Serra Verde Mineradora, Luciano de Freitas Borges, afirmou que a missão é fazer renascer o espírito minerador de Minaçu. “Queremos contratar ao máximo de mão de obra local. Nossa prioridade será cada vez mais integrarmos essa comunidade e agregarmos valor à economia do município”, projetou. Luciano adiantou que Minaçu contará com cerca de R$ 1,5 milhão circulando em salários dos trabalhadores, e que a Serra Verde deve gerar entre R$ 28 milhões e R$ 32 milhões em impostos.
Antes do investimento para a implantação do empreendimento, a mineração Serra Verde já aplicou em Minaçu mais de R$ 270 milhões em pesquisa sobre os minerais presentes na região. Após as obras, a empresa irá explorar o concentrado de terras raras, composto de 17 elementos químicos que pode ser utilizado em várias aplicações: produção de ímã de alta potência (usado na geração de energia limpa, como turbinas eólicas e carros elétricos), catalisadores na indústria de petróleo, equipamentos médicos (ressonância magnética, laser), produção de luminescentes para a indústria óptica eletrônica e fabricação de supercondutores.
O governador destacou que o concentrado de terras raras é fundamental para adentrar em um mercado disputado por países como a China. “Já que temos o produto no Brasil, que hoje é um dos metais mais cobiçados pela indústria de ponta, pedi que pudéssemos trazer para cá algumas empresas para não sermos apenas exportadores de terras raras, mas ter indústrias que venham a desenvolver essa tecnologia”, explicou Caiado.

Compartilhar

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here