SMS de Goiânia prioriza saúde na família
Compartilhar

Por Hélmiton Prateado

A Prefeitura de Goiânia, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS, tem aprimorado cada vez mais o serviço oferecido pelo Programa Estratégia Saúde da Família (ESF). A Capital conta com 59 unidades compostas por 193 equipes de multiprofissionais.
A ESF faz parte do serviço de Atenção Primária padronizado pelo Ministério da Saúde e tem como características ser o primeiro nível de atenção à saúde e cuidar da população no lugar em que vive, realizando um acompanhamento integral do indivíduo. As equipes deste programa são formadas por médicos,enfermeiros, auxiliares de enfermagem, agentes comunitários e profissionais de saúde bucal.
Assistido pelo CSF Residencial Itaipu, Gilberto Ramos, de 85 anos de idade, conta como se sente quando recebe a visita da equipe em casa. “É muito bom ter eles aqui, fico muito satisfeito por estarem perto de mim. Eu gosto de receber a visita do médico, primeiro é Deus, depois são eles pra ajudar a gente”, diz.
Ao lado do marido, Ivonete Francisca, de 65 anos, também recebe assistência da equipe. Ela faz questão de elogiar o empenho da agente comunitária de saúde Adriana Fátima. “Somos bem atendidos pelas equipes e a Adriana cuida muito da gente. Ela é nosso braço direito, só de vir aqui em casa pra fazer a consulta já ajuda muito”, afirma.
Adriana atua como agente comunitária há 15 anos e explica que o Estratégia Saúde da Família tem como ponto principal a relação de proximidade com os pacientes.”Mesmo quando o paciente não pode ir até a unidade de saúde, nos vamos até a casa deles. Temos a área a ser visitada e a partir da convivência com essas famílias descobrimos os pontos fortes e as necessidades. Daí então levamos os casos para discutir em equipe e definimos como prosseguir com o atendimento que cada paciente precisa”, relata.
O CSF Residencial Itaipu tem capacidade para atender cerca de 20 mil moradores de quatro bairros da região Sudoeste,sendo eles, Residencial Itaipu, Residencial Itaipu II, Residencial Ana Clara e Residencial Ilhas do Caribe. Na unidade, o atendimento é realizado por cinco equipes da ESF e três da Estratégia de Saúde Bucal (ESB).
Os CSFs são instalados nos bairros com maior necessidade de serviços de saúde e maior número de famílias em situação de risco. Para a secretária municipal de Saúde, Fátima Mrué, esse nível de atenção oferecido realmente aproxima as pessoas que necessitam do Sistema Único de Saúde (SUS). “A ESF funciona como a porta de entrada do SUS. O usuário recebe assistência médica e orientações pelo programa e caso necessite de um cuidado mais avançado a equipe de estratégia faz este encaminhamento”, pontua.
Em Goiânia, mais de 528 mil pacientes foram atendidos em 2018 e cada CSF mantevea média mensal de 44.026 atendimentos que resultaram em 941.485 procedimentos realizados. Um levantamento prévio de 2019, demonstra que os atendimentosultrapassaram a média mensal do ano anterior, somando mais de 49 mil atendimentos de usuários por mês.

Compartilhar

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here