Voluntários do CVV proferiram palestra alertando sobre as tentativas de suicídio
Compartilhar

Por Hélmiton Prateado

Voluntários do Centro de Valorização da Vida (CVV) abriram o ciclo de palestras no Hospital Municipal de Aparecida de Goiânia em atividades alusivas à Campanha Setembro Amarelo. O escopo do CVV é essencialmente a prevenção ao suicídio, síntese da campanha de setembro que pretende atingir o máximo de pessoas para um alerta geral sobre suicídio podendo ser prevenido.

Os palestrantes Luiz Gonzaga dos Santos e Miriam Marques Damasceno são voluntários do CVV e acostumados a dar conferências assim e atuar diretamente com a população que acessa os serviços de atendimento do CVV. A instituição é um voluntariado sem fins lucrativos fundado em São Paulo em 1962 e em Goiás há 40 anos prestando assistência a quem está em desespero e com tendências a tirar a própria vida.

Luiz Gonzaga explica que eles atendem pessoas com problemas emocionais e de ansiedade, angústias, depressão e que precisam de auxílio para superar suas crises. “No Brasil somos mais de 3.200 voluntários que atuamos em defesa da vida, com uma proposta humanista e que leve amor ao próximo”, explica.

Sem nenhum viés ideológico ou religioso os voluntários do CVV promovem uma escuta atenta aos indivíduos que os procuram e levam uma mensagem de amor e de fortalecimento emocional para evitar seus gestos extremos. Os casos de suicídios, principalmente entre a população jovem, tem crescido de forma exponencial nos últimos anos, o que preocupa autoridades e envolvidos com a assistência emocional a essa parcela de vulnerabilidade da população.

A palestra aconteceu no auditório do HMAP na tarde dessa quarta-feira e na manhã de quinta haverá outra palestra motivacional sobre o tema. O Setembro Amarelo é uma campanha de conscientização sobre a prevenção do suicídio. No Brasil, foi criado em 2015 pelo Centro de Valorização da Vida (CVV), Conselho Federal de Medicina (CFM) e Associação Brasileira de Psquiatria (ABP), com a proposta de associar à cor ao mês que marca o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio (10 de setembro).

Marlete Ferreira, diretora de humanização do HMAP

A diretora de humanização do HMAP, Marlete Ferreira, ressaltou a importância da campanha de conscientização ser trazida para o ambiente hospitalar em virtude do grande número de tentativa de pacientes em casos de autoextermínio. “Precisamos saber que é um problema real e termos mecanismos para auxiliar essas pessoas que estão em situação de extrema ação de instabilidade emocional”, finaliza.

Compartilhar

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here