Secretária Fágima Mrué (Saúde) rompeu contrato com clínica que detinha quase 30% de todas as autorizações da SMS de Goiânia
Compartilhar

Por Hélmiton Prateado

A Secretaria Municipal de Saúde descredenciou o Centro Médico de Atendimento Médico Especializado (Cliame) da prestação de serviços para o Município. O distrato foi assinado pela secretária Fátima Mrué após parecer favorável da Procuradoria do Município. Segundo fontes da SMS a Cliame chegou a concentrar quase 1/3 de todos os atendimentos especializados para o Município de Goiânia nos últimos quatro anos, em negociações que envolveram dezenas de milhões de reais.
A clínica prestava atendimentos na área de oftalmologia, mas o principal era o tratamento conhecido como “Litotripsia Extracorpórea”, que consiste em quebrar cálculos renais por ondas de rádio. Esse procedimento era pago para a Cliame acima da tabela do SUS, o que levantou a atenção e desencadeou investigações no Ministério Público e na Câmara de Vereadores.
Segundo o vereador Elias Vaz, que integra a CEI da Saúde em plenos trabalhos na Câmara, amizades próximas de diretores da Cliame e de dirigentes da saúde ajudavam a manter o grande volume de ordens de atendimento destinados para a clínica.
No Ministério Público também correm investigações sobre os contratos que a Cliame mantinha com o Município de Goiânia, valores e expedição de autorização de consultas e tratamentos.
O documento firmado entre a SMS e a Cliame foi curto e significativo, frisando a ruptura de um ciclo de serviços e altos valores.

Compartilhar

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here