Entidades de assistência, associações de moradores e Prefeitura se unem para levar inclusão pelo trabalho para as comunidades

Por Hélmiton Prateado

O prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha lançou no último sábado um projeto que visa integrar associações de moradores, entidades associativas e a aministração para fazer chegar com maior rapidez e facilidades práticas inclusivas para a população. “O Projeto Minilab tem o objetivo de compartilhar ferramentas e equipamentos da Prefeitura com o cidadão e oferecer cursos e oficinas para a população”, explicou Gustavo.
A solenidade de apresentação do projeto foi realizada pelo secretário de Ciência e Tecnoligia, Cleomar Rocha, durante o Seminário para Associações de Moradores de de Assistência Social, realizado no salão II do Centro de Cultura e Lazer José Barroso, e contou com a presença do prefeito Gustavo Mendanha, do vice-prefeito, Veter Martins, e dos secretários Afonso Boaventura (Governo), Tatá Teixeira (Articulação Política), Avelino Marinho (Cultura) e do procurador-geral do Município, Fábio Camargo.
O MiniLab é um projeto voltado para a comunidade e consiste na rede de compartilhamento de peças, equipamentos e ferramentas, além da formação de conhecimento. Para o prefeito Gustavo Mendanha, a ideia é alcançar toda a população da cidade. “Esse projeto é ousado e aproxima a nossa administração da população. É com esse espírito de coletividade e de saber fazer cada vez mais que, integramos os aparecidenses na perspectiva de fazer de Aparecida de Goiânia uma cidade inteligente, onde a comunidade usa, realiza e compartilha serviços e inteligência. Com isso, as pessoas passam a ter consciência de que as peças e equipamentos são públicos e podem ser compartilhados”.
Para o secretário Cleomar Rocha, idealizador do projeto, o MiniLab tem uma perspectiva de trabalhar o direito a cidadania e o uso compartilhado de equipamentos públicos. “O projeto alia a prefeitura com o cidadão e trabalha o exercício da cidadania e a inteligência de compartilhar conhecimento, ferramentas e peças disponibilizadas pela administração. O envolvimento das associações de moradores é essencial para a o poder público alcançar as pessoas e que elas saibam usar inteligentemente aquilo que estamos disponibilizando. Com isso, vamos fazer de Aparecida uma cidade inteligente que proporciona acesso e compartilhamento”, explicou.
Inicialmente, serão entregues 10 kits de ferramentas com 26 peças entre alicates, chaves de fenda, ferro de solda, lixadeira, parafusadeira, brocas, lixadeira, martelo, micro retífica, pulverizador de tinta elétrica, serrote e etc, para 10 associações de moradores que estão devidamente legalizadas. “O cidadão que quiser ter acesso ao kit deverá solicitá-lo na Associação de Moradores do bairro onde mora, apresentar documentos pessoais e fazer um cadastro para o empréstimo e devolução do kit de ferramentas no prazo de 24h”, informou Cleomar Rocha.
Modelo – Para apoiar a rede do MiniLab Cidadão, haverá uma unidade Modelo, com o objetivo de fornecer capacitação técnica, auxiliando na habilidade de manuseio com segurança dos itens disponíveis nas oficinas e na competência de processos de criação de peças, ampliando o conhecimento sobre o que pode ser feito com cada ferramenta. Essa unidade Modelo evitará o mal uso dos equipamentos e ferramentas com a apresentação das boas práticas de utilização dos itens para garantir que qualquer cidadão que tenha interesse em usufruir desses recursos, possa tranquilamente adquirir as habilidades e competências necessárias para realização de suas atividades.
Seminário Cidade Comunitária
Com o objetivo de instruir líderes comunitários e presidentes de associações de bairro, o Conselho Municipal de Assistência Social (CMAS) e o Conselho das Associações de Moradores de Aparecida de Goiânia (CAMAP), em parceria com a Prefeitura, realizaram no mesmo local de apresentação do MiniLab, o seminário “Cidade Comunitária”. A ação contou com palestras e bate-papo com especialistas da área sobre regularização, legalização e legitimidade das associações e tipificação de serviços assistenciais.
O seminário teve o apoio da Confederação Nacional das Associações de Moradores e Entidades Comunitárias do Brasil (Conam Brasil), com a presença da advogada palestrante Ariana Aquino, presidente do CAMAP, Orlanes Maranhão, representante da Conam Brasil, Sebastião da Paz, e cerca de 100 presidentes de bairros e líderes comunitários.
Para o presidente do CMAS, Weyder Moreira Neres, o mais importante do evento foi alcançado, que era capacitar membros de associações de moradores e conselhos municipais. “Muitos representantes dessas entidades não sabem como desenvolver seu papel, quais são suas obrigações e direitos e o passo-a-passo para a regularização de uma associação. Por isso estamos promovendo esse evento para que todos sejam instruídos, dentro da legalidade e saibam a importância de legalizar as associações de moradores e de assistência social na cidade”, explicou.
Segundo Sebastião da Paz, a legalização das associações garantirá à elas a possibilidade de firmar convênios com entidades da sociedade civil e governos. “Há muito tempo lutamos para a regularização desses espaços voltados para melhorar a qualidade de vida dos moradores dos bairros. Se estiverem dentro da lei e com os documentos em ordem, poderão buscar convênios com diversos segmentos e assim melhor atender o cidadão que procura pelas associações”, concluiu.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here